Inunda, Céu do Rio Vermelho é o livro de Conde Baltazar que conta com apoio de financiamento coletivo para o lançamento.

 

Ao sentar para escrever sobre Conde Baltazar para a nossa Galeria, juntei uma porção de impressões com o material que já tinha e aqui escrevo sobre este músico/compositor, artista visual e ator, Conde Baltazar que, na realidade é, Alexandre Zampier.  Aos 16 anos foi apresentado formalmente ao violão, estudando o método clássico na Embap – Escola de Música e Belas Artes do Paraná e compõe desde então. Na academia, cursou Administração. Na multifacetada vida profissional, o artista divide seu tempo como ator da curitibana Súbita Companhia de Teatro e músico da banda Trombone de Frutas. Em 2016, lançou seu primeiro álbum solo  “Lover haus”, onde mistura pós rock, mpb, rock paranaense, trombones, voz e guitarra.

Financiamento coletivo

Agora, Conde se prepara para lançar seu primeiro livro. O trabalho produzido e organizado por por ele no ano passado se transformou no título Inunda, Céu do Rio Vermelho, uma história de amor contada através de ilustrações e textos poéticos.
O livro terá uma tiragem de 200 cópias, totalmente serigrafado e encadernadas a mão pelo atelier Caderno Listrado de Curitiba. Ao todo o livro conta com mais de 50 ilustrações do artista. A previsão de lançamento é para Abril de 2018, mas para isso, Conde Baltazar precisa “vencer” o processo de um Financiamento Coletivo.
O custo de finalização do livro é de R$14.400 reais que serão destinados à serigrafia, encadernação, diagramação, edição e vídeo. “É um projeto bem enxuto, mas com um grande valor agregado. As ilustrações são parcialmente soltas, revelando embaixo delas um texto poético, exige diálogo do leitor, quase como um livro-objeto” comenta Conde Baltazar.

Assista o vídeo e conheça melhor o projeto.

 

 

Para apoiar o projeto que fica no ar até dia 30 de janeiro entrar no site: www.benfeitoria.com/inunda e conferir as recompensas que vão desde o livro, ilustrações e até um pocket show com o autor.

Sobre o Trombone de frutas

O grupo Trombone de Frutas foi criado em 2010.Conquistou alcance nacional em 2014, com o lançamento do álbum Chanti, Charango?, fruto de um financiamento coletivo que arrecadou R$ 28 mil. Com shows em várias cidades de Brasil e uma turnê pela Argentina, o grupo já subiu ao palco como banda de apoio de nomes consagrados como Jards Macalé e Di Melo.
A imprevisibilidade e a busca pelo desafio sonoro se refletem em suas ações. O grupo busca maneiras de
agregar outras linguagens artísticas ao seu trabalho, bem como organizar eventos que proporcionem a
aproximação com o público e outros agentes culturais.
Um exemplo é o Biro Biro Day Show, criado em 2014, que reúne música, performance, teatro, circo,
gastronomia, comércio criativo e o que mais der na telha. Organizado de forma independente e gerido
pelos integrantes da banda, a ideia é reunir artistas e outros agentes envolvidos na cena cultural curitibana
para uma tarde de diversão. Acostumada a tocar em praças e quintais, criando eventos exclusivos, eles resolveram investir em seu próprio espaço artístico. E, assim nasceu a Arnica Cultural, no bairro Bigorrilho, empreendimento que reúne local para shows, projeções, feiras, uma produtora de áudio, além de estúdio para gravação e ensaio. Gerenciado pelo seis integrantes, o espaço foi pensado para abrigar
empreendimentos culturais. A Trobone de Frutas é formada por Conde Baltazar (vocal), Marc Olaf (teclados e baixo), Rodrigo Chavez (baixo), João Taborda (bateria) e Lauro Ribeiro (trombone, trompete e flugelhorn).

 

Para saber mais:

www.benfeitoria.com/inunda

https://condebaltazarblog.wordpress.com/

Monalisa Beer

Olá, sou a Editora de conteúdo do Eu Amo Curitiba. Sou sensata e discreta.
Tenho em Dalton Trevisan minha inspiração em marketing pessoal.
Sou fã de carteirinha de rock e da banda Kiss.
Adoro os filmes do Zorro e alimento um paixão secreta pelo indefectível Julinho da Adelaide. Muito prazer, meu nome Monalisa Beer.