closet compartilhado curitib

Closet compartilhado: consumo consciente sem sair da moda


Você sabe o que são closets compartilhados? Curitiba tem dois deles e te contamos tudo sobre essa nova tendência

Você usa todas as roupas do seu guarda-roupa? Hoje, há uma crescente consciência entre as pessoas sobre o consumo e a importância em minimizar nosso impacto no meio-ambiente. Os closets que adotam a ideia do compartilhado (a mesma ideia base dos coworking e dos aplicativos de carona) surgem como uma opção sustentável.

Em Curitiba, existem atualmente dois closets compartilhados. Em cada um deles, existem três planos mensais. Ao assinar um desses planos, a pessoa tem acesso ao acervo de peças do closet e pode retirar um número determinado por mês. O preço varia de R$80 no plano mais básico e R$250 no plano maior.

O primeiro Closet compartilhado de Curitiba foi o USE, das sócias Lorena Schluga e Caroline Regio. As advogadas tinham o desejo de empreender e viram no closet compartilhado uma chance de fazer algo diferente, com propósito. “Inspiradas no modelo das lojas de aluguel de vestidos de festa, pensamos em aplicar essa ideia no cotidiano das pessoas, através da montagem de um acervo com roupas casuais, afinal são essas peças que representam o maior impacto de consumo no público feminino.”, contou Lorena.

A grande sacada para quem assina é justamente ter “às mãos” diversas peças, rigorosamente selecionadas pela equipe do closet, por um preço mais acessível e sem lotar o guarda roupa. Assim, é possível ter em casa um armário mais básico, economizando dinheiro e espaço, e usar o closet compartilhado para pegar peças especiais e para compor o visual: para usar numa festa, num casamento, numa reunião de trabalho ou mesmo só para aquele dia que quer dar um “up” no visual. Tudo isso com horário marcado, possibilitando um atendimento personalizado.
“Nossa ideia é colocar a redução de consumo sem a pessoa precisar se privar da moda, das tendências, da novidade”, contou Andressa Alflen Marques, sócia, ao lado de Thayná Capellari, do N’oz, closet inaugurado dia 18 de novembro.

closet compartilhadoEspaço da USE. Foto: Divulgação

A palavra para o closet compartilhado é diversidade

A USE conta com peças novas adquiridas no mercado, peças usadas em bom estado de conservação e peças próprias e exclusivas. No estilo, um pouco de tudo, com peças atemporais e peças versáteis, sempre em conformidade com as tendências da moda. Outra prática do closet é transformar uma peça, dando uma roupagem nova e atual. “Essa premissa está em total consonância a um dos principais pilares do nosso negócio que é a sustentabilidade”, explicou Lorena.

Também ligado nas tendências mais quentes da moda, a No’z tem como inspiração a vibe dos festivais de música. “Algo que acho que é o diferencial da Noz são as roupas e tendências de festivais, que são lugares que você vê que as pessoas têm uma maior liberdade para se expressar através da roupa, com muitas peças diferentes e únicas”, explicou Andressa. “Mas também temos roupas mais básicas, para não limitar ninguém”.

O acervo da N’oz hoje tem aproximadamente 400 peças (a maioria são roupas novas) entre peças que eram do armário das sócias, roupas de garimpo em brechó, lojas físicas e online, e até peças confeccionadas pela mãe de Andressa e pela vó de Thayná. A ideia é que no futuro exista uma linha própria da N’oz, até porque “algumas marcas não sabemos onde e como são feitas as peças”, disse Andressa.

Um guarda-roupa imenso com centenas de peças

Rafaela Coradin, publicitária, é cliente da USE desde agosto de 2017. Em abril daquele ano, Rafaela iniciou um processo de emagrecimento com duração de doze meses. Nos três primeiros meses, sua numeração foi de 50 para 44. Quatro meses depois, ela já estava vestindo 38. A perda de peso fez com que o guarda roupa dela se tornasse obsoleto e a rapidez do processo custaria caro em peças de roupa durante a transição. “O closet compartilhado foi o que me salvou. Meu guarda-roupa estava resumido a legging e roupas largas que ficavam ridiculamente enormes no meu corpo. Você não pode imaginar a minha emoção de saber que eu teria acesso a roupas legais novamente!”, conta Rafaela.

A publicitária refez seu armário e hoje tem apenas peças básicas, uma jaqueta e um casaco de inverno. Nada de roupa para sair e vestidos de festas. Só o essencial, o resto vem tudo do USE, inclusive looks pro dia a dia.
Para ela, a consultoria de imagem é um diferencial. Ela deixa na mão do closet montar seu look, de acordo com a ocasião que ela precisa. O atendimento personalizado também cria um laço de confiança entre cliente e closet. “Elas separam o look e eu provo sem dar muita opinião (até porque ainda tenho dificuldade de me reconhecer nesse novo corpo). Se eu me sinto confortável no look, saio com ele. Ainda que não me agrade visualmente eu arrisco pela experiência mesmo de tentar algo diferente”.

Para finalizar, Rafaela frisa as diversas possibilidades que tem ao poder usar peças de um “guarda-roupa imenso”, com centenas de peças. “Posso transitar entre estilos absolutamente diferentes, provar e usar roupas que eu jamais compraria. Gostei dessa brincadeira e acho que já não sei mais viver sem!”, conta.

closet compartilhado curitibaEspaço da N’oz. Fotos N’oz, inclusive foto de destaque: Gab Nassif

Planos e contatos

Planos da N’oz:   

Pista: R$80 por mês – seis peças por mês, três por vez
VIP: R$150 – doze peças por mês, quatro por vez
Backstage: R$220 – dezoito peças por mês, seis por vez, além de acesso a peças exclusivas.
Todos os planos incluem também acesso ao blog, que terá dicas de looks e outros conteúdos sobre moda e consumo, além da consultoria de imagem.
Mais infos: www.nossanoz.com.br
[email protected]
(41) 3334-1920/ (41) 99706-3817

Planos da USE:

Mini: R$89 por mês – quatro peças por mês, uma peça por vez
Midi: R$169 por mês – dez peças por mês, duas peças por vez
Maxi: R$249 por mês – dezoito peças por mês, quatro peças por vez
Todos os planos incluem consultoria de imagem.
Mais infos: www.sejause.com.br
[email protected]
(41) 99937-9812/ (41) 99979-0272