Paulinho Moska e Orquestra À Base de Corda se unem em Antonina no Festival de Inverno


Até o dia 21, o festival traz mais de 20 espetáculos de música e teatro para o público, em vários pontos da cidade

Valor

Gratuito

Outras informações

Data: Sábado, 14 de julho Horário: 21h30 Local: Coreto Praça Coronel Macedo – Antonina

O compositor e cantor Paulinho Moska e a Orquestra À Base de Corda (OABC) abrem o Festival de Inverno da Universidade Federal do Paraná, neste sábado (14/7), em Antonina.

No repertório estão sucessos de um dos mais importantes nomes da MPB, em releituras feitas pelo grupo curitibano. A apresentação é gratuita e acontece no Coreto da Praça Coronel Macedo, às 21h30.

Parceria
A parceria dos artistas no palco promete repetir o sucesso que foi a performance na Corrente Cultural 2013, e em 2015, no projeto Sesi Música. “Após termos feito alguns arranjos para uma música dele, a parceria foi inevitável. A nossa sintonia fluiu muito rápido e a voz dele casa bem com a Orquestra”, acredita João Egashira, diretor musical e regente da formação que é mantida pela Fundação Cultural de Curitiba.
Entre as composições escolhidas constam ‘Tudo novo de novo’, ‘A seta e o alvo’, ‘A idade do céu’, ‘Pensando em você’, ‘O mundo’, ‘O último dia’ e ‘Relampeando’, levando ao público o talento do carioca Paulinho Moska.



Orquestra à Base de Corda
Este show une Paulinho Moska à excelência da Orquestra À Base de Corda (OABC), criada pelo maestro Roberto Gnattali, em 1998. O grupo dedica-se à pesquisa e à divulgação da música brasileira, sendo que sua formação instrumental ímpar – com violino, bandolim, cavaquinho, viola caipira, violão, violão 7 cordas, piano e percussão – resulta em uma sonoridade bastante particular. O repertório da orquestra procura abranger diversos períodos da história da música brasileira e inclui composições de seus integrantes.

Desde 2001, a Orquestra À Base de Corda conta com a direção musical do violonista e bandolinista João Egashira. Em 2008, a Orquestra lançou seu primeiro CD, intitulado Antiqüera, ao lado do violeiro Roberto Corrêa, tendo sido indicado para o Prêmio Rival. Em 2009, igualmente ao lado de Roberto Corrêa, participou da gravação do programa Instrumental SESC Brasil, em São Paulo.

Festival de Antonina
Até o dia 21, o festival traz mais de 20 espetáculos de música e teatro para o público, em vários pontos da cidade. “O Festival deste ano retoma a ideia de um movimento que já se iniciou quando tivemos o Circuito Arte e Cultura, nos municípios de Paranaguá e Matinhos. É um processo que vai além do evento e se espalha por todo o litoral”, explica o pró-reitor de Extensão e Cultura da UFPR, Leandro Gorsdorf, referindo-se à programação inicial realizada nos meses de maio e junho.

Uma das novidade desta ediçã é um teatro itinerante que passará por bairros de Antonina.
Um grande baile de carnaval fora de época, com a presença de blocos e escolas de samba de Antonina e da Banda 50 Graus, vai marcar o encerramento do Festival no dia 21.