Num caderno onde aleatoriamente anoto pontos de interesse para fotografar achei o seguinte: “fotografar a árvore mais alta de Curitiba na Praça Gal. Werner Gross”. Não sei de onde obtive essa informação, mas de qualquer maneira, resolvi encontrar essa notável árvore e sem dúvida alguma valeu muito conhecer essa gigante.

Depois de fazer as fotos, fui pesquisar se de fato essa é a mais alta árvore de Curitiba. Não encontrei a confirmação dessa informação, mas descobri que essa árvore é tombada pelo Patrimônio Cultural do Governo do Estado do Paraná. No livro do tombo, encontramos o seguinte texto:

“Árvore Paineira: Data da Inscrição 10/09/74. Está localizada na Praça General Werner H. Gross, esquina com a Rua Valentim Trevisam, no Bairro do Bom Retiro, Curitiba. A paineira é nativa do Brasil, podendo ser encontrada em regiões de clima tropical e subtropical, em locais ensolarados e com umidade moderada. Distribui-se desde a Paraíba até o Rio Grande do Sul. É árvore alta, galhosa, com tronco engrossado e fortemente armado com grossos e curtos espinhos. Forma uma copa muito grande, arredondada, com folhas compostas digitadas. As flores são cor-de-rosa. A floração ocorre no outono, época em que a árvore apresenta grande beleza. É largamente utilizada na arborização urbana. Os frutos, quando maduros, abrem-se espontaneamente por cinco fendas longitudinais, as valvas se desprendem, ficando somente a paina (branca semelhante ao algodão) pendurada na copa. As sementes, ricas em óleo, estão envoltas na paina branca e, quando nova, são procuradas por bandos de periquitos, que abrem os frutos com o bico.”

Como disse, não sei se é a árvore mais alta de Curitiba, mas é certamente uma das mais lindas que já vi na nossa cidade e recentemente, também de forma inconclusiva, a Gazeta do Povo veiculou uma matéria dizendo que essa é a árvore mais velha de Curitiba, baseando-se em uma foto de jornal de 1858.