Às vezes um posto de cinema parece um obituário, principalmente num ano como este nosso de 2018, quando tantas paixões estão indo embora.

Por onde começar? Por um rasgo de memória. Cine Vitória lotado e o Superman de Christopher Reeve e Richard Donner levanta vôo para salvar a Lois Lane de Margot Kidder que despenca de um edifício. Quando ela a segura no ar em plena queda, o cinema se debruçou em palmas! Coisa rara de se presenciar e eu estava lá, aplaudi, presenciei e me emocionei. Há 40 anos! A mistura deliciosa e charmosíssima de ingenuidade, ímpeto, heroísmo, coragem, romance, sal e pimenta, fez dessa dupla um marco na história do cinema! São insuperáveis!!! Meus heróis! Então que Margot Kidder, minha eterna Lois Lane, foi voar pelo mundo mágico da eternidade com seu maravilhoso Clark Kent/Superman do também insuperável Christopher Reeve. Meu cinema que vai virando memória, memória, memória. E então que Roberto Farias também deixa esse nosso tempo.

Alguém aí assistiu ASSALTO AO TREM PAGADOR, de 1962, com a interpretação antológica de Eliezer Gomes? Pois quem não assistiu devia assistir. É um dos grandes momentos do cinema brasileiro e, claro, uma aula de cinema! Roberto Farias dos filmes do Roberto Carlos e do outro marco na história do Brasil (mais do que do cinema brasileiro), que foi PRA FRENTE, BRASIL!, de 1982, que escancarou a ditadura militar e foi espelho de um país que vivia nas sombras. O ufanismo patriótico (pfft!) de um lado e a tortura violenta de outro. Um Brasil que precisa se reconhecer e reagir. E lá estava o cinema para dar a deixa.

Então que esta segunda-feira, dia 14 de maio de 2018, é triste para quem ama o cinema. Mas é dia de homenagear, e de aplaudir esses artistas que fizeram a nossa história! Palmas Margot Kidder e Roberto Farias. Nós que amamos o cinema, lhes agradecemos!!!