Tem que ser muito mal humorado pra não curtir…


Como seria linda a vida se fosse como Mamma Mia!” Coisa de cinema!

Lembro que quando fui assistir a MAMMA MIA!, o primeiro, estava acompanhado de meu amigo Raphael Rocha. Éramos nós dois e mais uma multidão de senhoras de meia idade curtindo o filme. Elas vibravam e quase cantavam junto. Nós também. Ao final eu suspirei e disparei para o Raphael: “Como seria linda a vida se fosse como Mamma Mia!” Coisa de cinema!

Dez anos depois o sucesso do primeiro pediu uma continuação. Aqui no Brasil, quando vamos ao cinema, já sabemos da repercussão internacional de qualquer filme e a crítica norte-americana foi unânime em dizer que essa seqüela era superior ao original. Então que era diversão garantida!

Pra não ser totalmente conivente, ouso dizer que essa segunda parte demora um pouquinho pra engrenar e só não cai no tédio porque o carisma dos atores é qualquer coisa de sensacional. Mas… Num determinado momento engrena! E aí não há mais solução. Lá estou eu cantando junto, acompanhando as coreografias com os pés, sorriso idiota nos lábios e em alguns momentos lágrimas nos olhos. Se o primeiro filme era sobre pais e festa, esse segundo é sobre mães e emoção. E, claro, pura nostalgia. Tudo funciona e, de verdade, é um filme que acontece dentro da gente.

Foto Divulgação.

Como reencontrar velhos amigos e divertir-se com eles como sempre foi. A segunda parte, como em (olha a heresia!) “O Poderoso Chefão 2” tem grande parte da narrativa voltando ao passado e mostrando os personagens quando eram jovens e se conheceram. É quando aparece Lily James, que interpreta Donna, a personagem de Meryl Streep, quando jovem. A garota é um show à parte. Ela, que já tinha feito a versão “live action” Disney da Cinderella, domina o filme, distribui talento, espontaneidade e simpatia e diz a que veio. É a explosão de uma grande atriz!

Foto Divulgação.

E ainda mais, se ninguém resiste às músicas do Abba, quem resiste à Cher? Quando a estrela entra em cena com sua voz especialíssima, não tem pra ninguém! “Mamma Mia! Lá Vamos Nós De Novo” é, dentro da sua deliciosa proposta, um filmaço! Entrega tudo que promete e deixa você com aquela vontade perigosa de voltar ao cinema e curtir tudo de novo.

Rir de novo, cantar de novo, chorar de novo. Exatamente como aconteceu com o primeiro. E, claro, ainda tem Meryl Streep cantando lindamente o momento mais emocionante. Ufa! É tanta simpatia que é melhor ficar por aqui e não entregar mais nada. Ah! Tudo isso se você gostou do primeiro, claro, e não acha só um divertimento cafona e brega. Mas aí…