Chegou aquela época do ano onde a música da Simone “Então é natal e o que você fez?” toma uma forma inquisitória, melancólica, desesperadora. Meu conselho é que ao invés de parar e ficar refletindo sobre o que você fez ou deixou de fazer esse ano,  você reserve alguns minutos – ou horas – pra ver os filmes que eu listei especialmente pensando em personagens que decidiram, sendo ano novo ou não, recomeçar uma vida nova, deixar o que havia de ruim pra trás e tentar de novo, buscar por uma nova chance.

VENTRE (Benedek Filegauf, 2010)

A ideia de fazer a lista veio depois que eu assisti esse filme. A personagem principal, Rebecca (interpretada por Eva Green) é uma mulher que retorna ao local onde em sua infância conheceu Thomas, seu primeiro amor. No reencontro, passam não mais que alguns momentos juntos até que Thomas sofre um acidente fatal e morre. Como suportar um fim tão trágico, depois de tantos anos aguardando por esse amor? Rebecca decide gerar um clone de Thomas em seu próprio ventre.

Destaque para as cenas com fotografia impecável, os longos segundos de silêncio que não são nem de longe entediantes, os jogos de palavras e às falas que remetem a morte que são de uma sensibilidade única.

O LENHADOR ( Nicole Kassell, 2004)

Walter (Kevin Bacon) acaba de voltar para sua cidade natal após 12 anos preso. Sempre muito reservado, ele consegue emprego numa madeireira que fica em frente à uma escola de ensino básico. O mistério que envolve Walter desperta a curiosidade de muitas pessoas, incluindo o policial da região e uma colega de trabalho, que parece apaixonada por ele. Recomeçar pode ser um processo doloroso e aparentemente impossível dependendo dos erros que se comete no passado.

BLUE JASMINE (Woody Allen, 2013)

Jasmine (Cate Blanchet) é uma mulher que ficou muito rica graças aos negócios do marido. Negócios que no caso eram ilegais e portanto, o levaram a cadeia. Jasmine foi obrigada a recomeçar do zero e a única pessoa disposta a acolhê-la foi sua irmã, que levava uma vida bastante oposta ao luxo e riqueza com o qual ela estava acostumada. Divertido em alguns momentos, constrangedor em outros, provavelmente esse é o filme mais leve que você vai ver nessa lista hoje.

A CRIANÇA ( Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne, 2005)

O nascimento de um bebê é literalmente sinônimo de uma nova vida, logo, não há melhor metáfora quando o assunto é ano novo. O filme acompanha as primeiras interações entre um jovem casal após terem tido um filho. A falta de experiência, de tutoria e maturidade expõe uma relação que é bastante frágil e delicada.

PELES (Eduardo Casanova, 2017)

Várias pessoas com deformidades procuram por aceitação num mundo difícil para os que são diferentes. O filme é bizarro na mesma medida em que é sensível. Com o passar do tempo, os personagens se descobrem, tomam decisões difíceis, se dão segundas chances e topam com segredos irreveláveis. O filme mostra que é possível (pelo menos à maioria) que, por mais que se pareça difícil encaixar, há sempre um lugar para as pessoas, por mais singulares que elas sejam.

TEMPORÁRIO 12 (Destin Daniel Cretton, 2013)

O cenário é um lar temporário para crianças e adolescentes em situação de risco, onde Grace (Brie Larson) trabalha. Logo no início ela descobre que está grávida e a decisão de ter ou não um bebê é mais difícil por conta de sua relação com o trabalho e seu passado. O filme é sobre como algumas coisas precisam ser ressignificadas (e as vezes repetidas) para se tornarem boas e sobre como um novo começo é possível.

E vocês, tem resoluções pra começar nesse ano novo uma vida nova também?

A gente se vê ano que vem (:
Feliz ano novo!