O projeto “Amigos da Sopa” é simples e pode ser definido em uma única palavra – solidariedade

Para inaugurar este espaço dedicado à projetos do bem que levam esperança, conforto sob muitas formas e amor ao próximo, apresentamos Eliane Walkoviccz da Silva, que conduz, com a ajuda de voluntários, o projeto Amigos da Sopa.

Traduzindo em poucas palavras, o objetivo do grupo é distribuir sopa para pessoas em situação de rua, em vários pontos da cidade.

No começo, todo improviso era compensado pela vontade de realizar o que podemos chamar de “missão”. O projeto foi crescendo e com ele, outras “missões” foram surgindo e as dificuldades também. Sem desistir do sonho, Eliane encontrou a solução naquilo que ela conhece bem – a solidariedade. E deu certo. 

Num depoimento emocionado à Mariana Martins, ela conta como tudo começou, as histórias que ouviu e as decisões que tomou ao longo dessa jornada até agora.

“Há menos de 4 anos eu comecei a sonhar diariamente que estava entregando sopa para moradores de rua. Mas não sabia por onde começar. Meu esposo foi o primeiro a acreditar na minha ideia, pois, ele conhecia bem a realidade das ruas por ser ex- dependente químico ou seja um adicto em recuperação.

Começamos a fazer a sopa na casa de uma amiga, pois, eu não tinha fogão grande em casa e nem panelas. Só tinha vontade de fazer mesmo. 

Saímos para entregar a primeira sopa já era tarde da noite, em uma sexta feira. Graças à Deus, grandes amigos me ajudaram. Os filhos de uma amiga enjoaram de tanto descascar verduras, e os primeiros legumes, copos e colheres, eu comprei no Ceasa mesmo.

Não sabia muito bem onde ir direito e quem foi nos conduzindo foi meu esposo,  já que conhecia toda a região.Chegávamos em casa por volta das 3h da madrugada porque ficávamos bastante tempo conversando com as pessoas. Cada dia que passava, as histórias nos comoviam mais. Muitas eram as perguntas sem respostas.

Algumas pessoas nos pediam ajuda para saírem daquela situação. Tentávamos internações em clínicas, fazíamos alguns resgates durante esse tempo.

Chegamos em um ponto que era preciso aumentar a quantidade distribuída, só que nesta época eu estava sem trabalho e as panelas que tínhamos eram emprestadas. Foi aí que contamos com a ajuda de que precisávamos. Meu sogro doou um fogão para o projeto e o Instituto Luiz Carlos Martins, por meio da Rádio Banda B, contribuiu com a doação de panelas.

Hoje a distribuição acontece todas as segundas feiras, na região da Vila Guaíra, Parolin e Viaduto do Capanema, que soma uma média semanal de 400 sopas servidas em copos de 500 ml. Na vila, algumas famílias levam potes e panelas para buscar.

Mas, tem semanas que não temos como fazer a sopa por falta de alimento ou gás, mas aí a gente conta a participação de muitas pessoas. Hoje temos amigos e, por isso não desistimos de ajudar, pois vale a pena. O projeto “Amigos da Sopa” é simples e pode ser definido em uma única palavra – solidariedade. Eu iniciei esta história por acreditar que podemos mudar o lugar onde vivemos e o amor que tenho por Curitiba me traz esperança e a crença nas pessoas e em futuro melhor para todos”.

Como participar do  projeto

As pessoas podem participar ajudando a preparar ou entregar a sopa, ajudar com fornecimento de carne, legumes e descartáveis (copos de plástico reforçado de 500 ml e colheres de refeição).

Os Amigos da Sopa aceitam doações de roupas, colchões, roupas de camas e também utensílios de cozinha.

Para falar com os Amigos da Sopa

Entre em contato com a Eliane pelo celular  99710-2393 ou com Daiane Walkoviccz  3288-1267 ou 98713-1413