No “Vinhote de bolso” Débora Corn fala de vinho poeticamente. A poetisa e escritora apaixonou-se por vinho em Portugal quando foi lançar seu primeiro livro; depois fez um curso de sommelier, onde se apaixonou pelas histórias poéticas dos vinhedos pelo mundo. Em Curitiba, Débora visita lugares, desfruta dos ambientes, conhece os vinhos, a gastronomia e depois ela revela na coluna todas as curiosidades do local visitado.

O vinho fala de mar no bálsamo, mas no sabor fala de saudade

Vamos falar de vinho? Que tal começar pelo olfato? Tudo principia com a percepção de que seu olfato não está…

Diga-me Curitiba, diga-me

“Diga-me Curitiba, diga-me”. Este poema está na página onze, doze e treze do meu primeiro livro, “Joni Depi me chamou…