5 motivos para ir às experiências sonoras do selo Misturi-C


A próxima edição acontece no dia 19 de outubro, no 351, com Janine Mathias, Luana Godin e DJ Morenno

(Foto: Adri Menegale desenvolveu a Misturi-C em 2012. Ao longo dos anos, milhares de pessoas já se esbaldaram nas festas da marca que se tornou referência em Curitiba ao desenvolver festas ao céu aberto em diversas épocas do ano. Foto: Reprodução)

Há seis anos, na capital onde o público é considerado o mais exigente musicalmente e, envolto em seus próprios guetos, a produtora cultural e DJ, Adri Menegale conseguiu uma das grandes facetas logo no início do selo Misturi-C: reunir todas as tribos, quebrar as redomas estereotipadas das regiões centrais da cidade, e ainda, em pleno céu aberto, proporcionar diversos momentos inesquecíveis com seu setlist musical que percorre todo o globo.

Depois de estourar a bolha, a Misturi-C que até então era apenas uma festa, se tornou um dos principais selos do Paraná e atualmente, é uma marca reconhecida por desenvolver experiências a partir da música.  Na próxima sexta-feira (19), o 351, recebe mais uma edição da Misturi-C com o show das cantoras e compositoras, Janine Mathias e Luana Godin. A noite conta ainda com a discotecagem do DJ Morenno.

Um dia, pode ser na rua, no outro, no jardim de um bar. Um dia, pode ser black music, no outro, puro tropicalismo. A Misturi-C vem para responder uma pergunta: por que não?, propõe, Adri Menegale no texto de apresentação do projeto no Facebook.

1 – De parar o trânsito!

Uma das edições pré-carnavalescas da Misturi-C em 2017, na unidade da Rua Trajano Reis do Mr. Hoppy, onde o projeto integra as experiências sonoras da rede em Curitiba. (Foto: Reprodução)

Até hoje, as festas do Misturi-C são referências como ponto de encontro de diversos públicos da cidade. Em cada evento, é desenvolvido um conceito para celebração da temática embalada com muita música. Como a própria Adri Menegale sugere, um dia pode ser na rua e aglutinar centenas de pessoas como já foi o caso de edições realizadas, na badalada Rua Trajano Reis e outras emblemáticas durante o pré-carnaval. Detalhe: Gratuito.

2 – … essa é a mistura do Brasil com Egito!

Além de Adri Menegale ser a frontwoman do selo, tanto na produção executiva quanto na discotecagem. Ela conta ainda com sua sócia, a DJ, produtora cultural e fundadora do Escritório de CriaçãoMichelle Hesketh, responsável pelo sucesso de eventos como Ruído nas Ruínas, Musicletada, Exposição Múltiplo Leminski, Tijucão Cultural, Feira Internacional da Música no Sul, entre outros. Ao lado das dicos-jóqueis quem também integra o casting musical é o DJ Antonio Ramos. Consolidando o quarteto, o editor de música, produtor cultural e assessor de imprensa, Lucas Cabaña, que foge das pick-ups, mas propaga as ações do selo Misturi-C nas mídias.

3 – Gay friendly, pet friendly, All Those Friendly People

Pode dançar homem com homem, mulher com mulher, levar cachorro, toda a família. O nome do projeto já evoca os sentidos: misturem-se. Nas edição ao ar livre, um dos segredos de sucesso do evento, é justamente fazer a conexão de diversos públicos, sem qualquer preceito ou preconceito.

Acho que essa classificação de Dj homem e Dj mulher só vem pra alimentar sexismo e preconceito. Posso dizer da minha relação neste meio. Sempre procurei estar de alguma forma no meio de profissionais que são referencia para mim. O fato de ser produtora ajudou bastante, pois pude chamar várias dessas pessoas que são referências pra mim para os eventos de que fiz parte, define Adri.

4- Não é apenas festa. São acontecimentos…

Há algumas edições, o Gastronomix – evento culinário que acontece durante o Festival de Teatro – convida o Misturi-C para criar experiências. Em 2018, na 10ª edição comemorativa, Adri Menegale foi a DJ residente do evento que neste ano teve o desafio de reproduzir as 25 iguarias de maior sucesso nas dez edições promovidas. Ou seja, várias experiências aliadas entre a sonoridade e demais sentidos palatos. Em pouco tempo, com o sucesso e projeção nacional do Misturi-C a atmosfera proporcionada pelo projeto conquistou artistas como Rido Dalasam, Luiza Lian, Jaloo, Janine Mathias, Siamese, Liniker, entre outros, que optaram por convidar o selo para fazer a abertura de seus shows ao invés de outros cantores, como acontece de praxe.

5 – Sempre com novidades!

Nesta edição, o selo apresenta dois shows inéditos, com as cantoras e compositoras, Janine Mathias e Luana Godin. A noite conta ainda com o DJ Morenno, finalista na Red Bull 3Style, o maior campeonato de DJs do mundo.

Na próxima edição, no dia 19 de outubro, sexta-feira, o 351, na Trajano Reis, recebe duas performances musicais inéditas. A cantora e compositora, Janine Mathias apresenta o show do seu novo disco, Dendê (2018). O álbum com produção e direção musical de Eduardo Brechó, em parceria com Renato Parmi, traz a participação especial do rapper, Rincon Sapiência, para a faixa que dá nome ao primeiro disco da artista. O repertório traz ainda letras inéditas de Janine Mathias e interpretação para canções de Leandro Lehart, Martinho da Vila, Tássia Reis e Val Andrade.

Outro show inédito é o DançaaÊ, com a cantora e compositora, Luana Godin. A artista apresenta as novas canções produzidas com diferentes produtores musicais. O repertório traz ainda, faixas remixadas do álbum sOLa e releitura para clássicos do reggae, além de singles produzidos pela artista em parceria com o núcleo Gatopardo. A sonoridade tem batidas eletrônicas com a percussão de ritmos afro-brasileiros.

A noite conta com a discotecagem do DJ Morenno. Ele é considerado um dos grandes expoentes do cenário mundial. Durante três anos consecutivos concorreu no Red Bull 3Style (aliás, a eliminatória nacional acontece no dia 12 de outubro em São Paulo. A Final Mundial ocorre em Taipei, Taiwan, com DJs de 21 países), é Vice-Campeão do Freestyle Scratch Brasil (2016) e já se apresentou no Festival Supernova em São Paulo (Tropkillaz & Friends) e na Tribaltech em Curitiba.