Adriano Esturilho apresenta novo livro com pocket show gratuito


O autor curitibano promove também uma edição especial do Vox Urbe, no bar Ornitorrinco, nesta segunda-feira (25/6)

Valor

Gratuito

O bar Ornitorrinco recebe o escritor, compositor e diretor de teatro e cinema Adriano Esturilho para o lançamento nesta segunda-feira, 25, de dois livros. O inédito 32 de dezembro – estudos para um voo torto reúne poemas e prosa poética produzidos nos últimos cinco anos e inéditos em livro. E Cancha 2 – cantigas para perverter juvenis, seu primeiro livro, publicado em 2007, ganha uma reedição. A publicação conjunta dá um panorama da obra do autor no campo da poesia e literatura.

Nas duas obras a prosa poética explora construções rítmicas e sonoras, o experimentalismo e o risco. As obras arriscam-se em  agramaticalidades, como a ausência de letra maiúscula e acentuação em alguns textos e na contaminação do texto por elementos da linguagem coloquial da internet (abreviação, sinais gráficos, entre outros).

Vox Urbe
O evento terá também uma também uma edição do Vox Urbe, com a participação de outros autores e o pocket show do projeto musical de Adriano, “estu! Subtropical”, ao lado do músico e produtor Eugênio Fim. Além das canções do CD lançado em 2017, eles farão a leitura sonorizada de alguns textos dos livros.

Adriano Esturrilho
O autor e multiartista, Adriano Esturilho é um dos nomes mais ativos na produção artística da atual cena paranaense. Frente à Processo Multiartes, sua trajetória é marcada pelo trânsito entre teatro, literatura, cinema e música.

A experimentação de linguagem é sua marca e assim ele busca uma poética híbrida e iconoclasta. Seus estudos da plagicombinação no teatro e na música fazem referência ao pós-modernismo ao tropicalismo, ao concretismo e à poesia marginal e se traduzem em projetos em diferentes áreas artísticas, que não raramente misturam as linguagens.

Produtora
Com sua produtora, ele tem vários projetos em andamento este ano: Vox Urbe, lançamento do clipe Verbo, as peças Airbag, Cárdio E #Zeqpop, e a edição do livro Pequeno Dicionário de Azuis, de Fernando Koproski.

Livros
Em “Cancha 2 – cantigas para perverter juvenis” o autor reúne contos curtos e poemas ácidos que dão vazão a uma voz lírica e a um passional espírito adolescente/juvenil.Cada conto leva o nome de um ponto da capital paranaense, de modo a propor ao leitor um passeio por lugares que conservam seu significado geográfico, mas que também ganham outros significados simbólicos para quem não conhece a cidade.

Já em “32 de dezembro”, essa voz juvenil ganha outras cores e dores, evocando dilemas existencialistas típicos da juventude. O título remete a um espírito de quebra de limite – paradigma – que circunda a obra. Ao mesmo tempo o subtítulo – “estudos para um voo torto”– aponta para o caráter libertário que acompanha o eu lírico do livro, seja através de um olhar que briga com a moral vigente ou na forma dos textos (poemas/contos híbridos).