Curitiba sedia a 3ª edição da Espetacular – Mostra de Artes para Crianças


Atrações nacionais, internacionais, oficinas para crianças e palestras estão na programação totalmente gratuita que contempla múltiplas linguagens

Há três anos, Curitiba vem sediando uma das maiores mostras de artes para crianças do Brasil, a Espetacular. Teatro, circo, dança, performance, música, artes visuais, literatura e contação de histórias fazem parte da programação deste evento que vem se consolidando e crescendo a cada edição.

Este ano, a Espetacular, que será realizada de 10 a 18 de novembro, conta não só com importantes atrações nacionais, mas também internacionais. Tudo de graça! Os espetáculos, shows, exposições e outras ações da Mostra irão ocupar durante nove dias diversos espaços da cidade como teatros, centros culturais, praças e parques.

Vicky Iza Las Velas_-MafaldaVSS13©AndreasEtter

Um dos grandes destaques desta edição é a participação da Companhia Mafalda, da Suíça, que irá apresentar o espetáculo de dança-teatro “Vicky Iza Las Velas”.

Michele Menezes, diretora geral da Mostra, conta que a Espetacular tem em sua origem um desejo genuíno de resgatar a simplicidade da infância, a sensibilidade, o tempo lento das descobertas onde as crianças possam experienciar e compartilhar momentos de diversão e poesia. “É um evento que une diversas expressões artísticas e que se fortalece a cada dia, pois entende a cultura como parte fundamental da formação humana. A democratização da arte e o exercício de formação de plateia são ações de grande importância social”, ressalta.

Mesmo sendo totalmente gratuita, uma das preocupações da Mostra é garantir o acesso às crianças da rede pública de ensino. Por isso, escolas e projetos sociais podem agendar grupos para assistirem aos espetáculos. Para o público em geral os ingressos serão distribuídos uma (1) hora antes das apresentações, na bilheteria dos espaços, considerando a disponibilidade de lugares.

A realização da Espetacular é da Pró Cult por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e conta com o incentivo do Banco do Brasil e da Celepar.

Confira a programação completa:

 

10 de novembro

Teatro Sesc Da Esquina – R. Visc. do Rio Branco, 969 – Centro

Iara – O Encanto Das Águas / Cia Lumiato (Brasília/DF)

16h

Um Índio da aldeia sonha com uma mulher sobrenatural. Ao acordar, procura o sábio Pajé para tentar entender quais são os mistérios dessa mulher, descobrindo assim a história da Iara. No encantamento da sereia brasileira, o protagonista mergulha com ela nas profundezas do seu próprio destino. Inspirado na lenda da Iara e utilizando a linguagem do teatro de sombras contemporâneo, o espetáculo busca sensibilizar o público infanto-juvenil sobre os saberes da tradição oral dos povos originários do Brasil.

Indicação: 4 anos

Casa 102 – Alameda Júlia da Costa, 102 – São Francisco

Mamutinha – Artes Gráficas Para Crianças / Gloriosa Produção Cultural – Ana Hupfer e Flavia Milbratz (Curitiba/PR)

11h às 18h

 

Oficinas:

1 – Ateliê LIVRE de Experimentações Gráficas!

Horário: 11h às 18h

Lotação: livre

Aberto o evento inteiro para que as crianças conheçam e possam experimentar diversas possibilidades artísticas de expressão e brincadeira.

2- Oficina de carimbos e estampas diferentonas!

Horário: 11h às 14h

Lotação: 50 crianças

De um jeito fácil, divertido e sustentável, as crianças poderão confeccionar suas matrizes em materiais de fácil acesso ao universo infantil. Vamos confeccionar carimbos com borrachas, espumas e batatas! Vamos carimbar e fazer tiragens das imagens produzidas, entendendo durante o processo como funcionam as estampas, as cores e as formas gráficas.

3- Serigrafia com máscaras – Meu 1º Stencil!

Horário: 14h às 16h

Lotação: 60 crianças

Indicação: 4 a 12 anos

 

11 de novembro

Casa da Flor – Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1227 – Centro

Quintal / Coletivo Casca (Belo Horizonte/MG)

11h

Das bordas de um quintal, donde passava um rio, um mar e outras coisinhas. Dois irmãos, ligados pela falta do pai, são obrigados a enfrentar os conflitos e descobertas de suas infâncias. Com direção de Joaquim Elias, “Quintal” traz o resultado de uma pesquisa sobre a obra do poeta Manoel de Barros. Logo no início da pesquisa os dois atores uniram-se ao diretor Joaquim Elias, diretor e bailarino, apreciador da poesia manoelina. O espetáculo possui como ponto estrutural e estético a ocupação de espaços não convencionais na busca por um teatro íntimo e popular.

Indicação: 5 anos

 

Espaço Cultural Pé No Palco – R. Conselheiro Dantas, 20 – Rebouças

Literatura e Contação de Histórias

14h às 18h

 

Foi coisa de Saci /Cia Contacausos (Chapecó/SC)

Saci é coisa que gente da cidade nega, diz que não tem, mas tem! Acontece que ele é filho do mistério, filho do vento que assobia, filho das sombras que formam figuras lá no fundo da floresta, filho do medo e da assombração. Numa casa de caboclo, quando alguma coisa estranha acontece, as pessoas dizem que FOI COISA DE SACI… O espetáculo faz um passeio pelas narrativas orais populares do Brasil, sobre este personagem do nosso folclore que é uma dessas coisas que ninguém explica.

Indicação: 6 anos

 

Histórias e quem anda pelo mundo/ Tapetes Contadores de Histórias (Rio de Janeiro/RJ)

Um contador de histórias escuta muitas histórias em suas errâncias pelo mundo. Assim costura e borda as aventuras, peripécias e poesias que o encantam. “Histórias de quem anda pelo mundo” é uma sessão de histórias d’Os Tapetes Contadores de Histórias com Cadu Cinelli. Todas as narrativas desta sessão ganham vida nas mãos e palavras do narrador ao manipular os belos bonecos e tapetes do acervo do grupo.

Indicação: 5 anos

Projeto Leituras Dramáticas: Na Roda Dos Sonhos/ Jaê Coletivo (Curitiba/Pr)

Lembrar-se de um sonho é abrir um presente. Lembrar-se de um sonho é sonhar de novo de um jeito diferente. Para onde vão nossos sonhos quando nós nos esquecemos deles? E depois quando nos lembramos deles, de onde é que eles voltam? Os atores/narradores Carlos Moreira, Ciliane Vendruscolo e Cleydson Nascimento trazem para cena esta experiência de leitura dramática através do texto “Na Roda Dos Sonhos” de Fátima Ortiz, criando um momento muito especial para o público infanto-juvenil e para a família, resgatando o ato de ouvir e imaginar, da cocriação entre leitor e ouvinte”.

Indicação: Livre

Mostra Solar terá duas semanas de apresentações de dança gratuitas

12 de novembro

Local a definir – horário a definir

Palestra: Culturas da Infância – Entre a Arte e a Experiência Lúdica (Nélio Spréa – Curitiba/PR)

A palestra “Culturas da Infância – Entre a Arte e a Experiência Lúdica” apresenta noções e sugestões para um trabalho criativo junto a crianças. Por isso, possui como público alvo todos aqueles que, de algum modo, atuam na educação de crianças, como, por exemplo, artistas, arte-educadores, profissionais da Educação, pais e interessados na interface cultura-infância. O palestrante se vale de recursos multimídia durante a apresentação, como filmes que produziu em suas pesquisas, imagens, histórias e canções. Ao longo da exposição, promove experiências lúdicas com o público e desenvolve análises sobre a constituição do ser criativo e a relação entre arte, escolarização e sociabilidade infantil.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo email

[email protected] com o assunto PALESTRA CULTURAS DA INFÂNCIA) até 26/10 com período de preferência (manhã ou tarde).

Ministrante:

Nélio Spréa é professor, produtor artístico e músico. Possui doutorado (2018) e mestrado (2010) em Educação pela Universidade Federal do Paraná. É graduado em Educação Artística – Habilitação em Música pela Faculdade de Artes do Paraná (1999). Cofundador do Grupo Mundaréu, atuou em CIAs como Ator Cômico Produções e Malasartes. É fundador e diretor pedagógico da Parabolé Educação e Cultura, onde se dedica à criação artística e ao desenvolvimento de projetos culturais dirigidos a escolas e instituições socioassistenciais. É autor de livros, CD’s e filmes para crianças dos quais se destacam os curta-metragem “O Fim do Recreio” e “A escola de Ensino Fenomenal”, vencedores de festivais nacionais de cinema infantil. É codiretor da série televisiva infantil AUÊ, em exibição na TV Brasil. Realiza pesquisas nos campos da arte-educação, sociologia da infância, música popular, culturas populares e culturas da infância, as quais servem de referência na elaboração de cursos, palestras, projetos culturais, espetáculos, roteiros audiovisuais e textos literários. É palestrante atuante nos programas de formação pedagógica das redes municipais de ensino em várias regiões do Brasil. Desenvolve também, via sistemas privados de ensino e editoras, cursos de formação profissional destinados a docentes de educação infantil e ensino fundamental.

 

13 a 17 de novembro

Local e horário a definir

Oficina de Crítica: Descoberta da cena pela família (Michele Rolim – Porto Alegre/RS)

A oficina é um estímulo e um convite para mães/pais e filhas/filhos dialogarem com os espetáculos da programação e com o cenário cultural para crianças. Cada vez se torna maior a importância de acesso à produção teatral de qualidade na construção da formação estética, axiológica (ética e moral), afetiva e sociocultural de uma criança. A ideia é formar um grupo de famílias que participarão da oficina e assistirão alguns espetáculos selecionados pela ministrante.

Nos encontros também iremos pensar quais são os desafios da linguagem teatral para esse público em constante renovação, tanto a respeito do conteúdo, mas também quanto à forma, visto que são assuntos intimamente relacionados.

Interessadas e interessados podem enviar e-mail para [email protected] até 31/10 com o assunto OFICINA DE CRÍTICA para enviarmos mais informações.

As inscrições são gratuitas.

Ministrante:

Michele Rolim é jornalista e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Autora do livro “O que pensam os curadores de artes cênicas”, editado pela Cobogó em 2017. Trabalhou de 2009 a 2017 como repórter responsável pelo setor de artes cênicas do Jornal do Comércio, em Porto Alegre.

Participou dos júris do Prêmio Açorianos de Teatro, do Troféu Tibicuera de Teatro Infantil (ambos da prefeitura de Porto Alegre) e do Prêmio Braskem em Cena no festival internacional Porto Alegre Em Cena. Membro da International Association of Theatre Critics (IATC).

 

13 De Novembro

Teatro Sesi Portão – R. Padre Leonardo Nunes, 180 – Portão

Estórias De Muitas Mainhas/ Cia do Abração (Curitiba/PR)

15h

Histórias Brincantes de Muitas Mainhas foto Isabelle Neri

Três simpáticos velhinhos que adoram contar estórias, um para o outro e, do seu jeito, trarão ao espectador alguns contos da literatura nacional, dirigidos à criança. Nossos contadores e estórias, divertidos e ingênuos velhinhos se confundem, brincam e se emocionam com a pureza própria de uma criança. Movidos pelos sentimentos de saudades e lembranças, começam a falar sobre suas próprias mães e sobre as diferentes mães que conhecem. Neste clima de brincadeira e Faz-de-Conta, fazem abstrações imaginando que todas as coisas, isto é, objetos do cotidiano, elementos da natureza e seres elementais, também têm mães. Concluem-se como podem ser diferentes e ao mesmo tempo semelhantes a nós, as diversas relações entre mães e filhos: tudo quanto a imaginação e a sensibilidade de uma criança podem permitir. Um trabalho de muita sensibilidade e delicadeza feito para todas as crianças, de todas as idades, inclusive, aquelas dentro de nós.

Indicação: Livre

 

Teatro José Maria Santos – R. Treze de Maio, 655 – São Francisco

Vicky Iza Las Velas / Company Mafalda (Suiça)

19h

Esta não é somente uma produção que pode ser assistida, é um espetáculo que convida o público a acompanhar a história de Vicky – a heroína da peça – desde o começo, quando ela, corajosamente, inicia uma jornada para descobrir destinos muito distantes. Mais que isso, os espectadores podem ser chamados para ajudá-la sempre que ela precisar! Todos os tipos de estranhas criaturas vivem nos mundos estrangeiros que Vicky visita e ela encontra infinitos obstáculos em seu caminho. Quanto mais longe Vicky chega, mais percebe que completar uma viagem segura e fazer com que os seres que ela encontra se tornem amigos, só depende dela. De forma lúdica, ela percebe que vale muito a pena descobrir coisas novas, pois só assim é possível conhecer mais sobre nós mesmos, nossos limites e capacidades.

Indicação: 4 anos

14 de Novembro

 

Teatro Sesi Portão – R. Padre Leonardo Nunes, 180 – Portão

Lá Na Lua / Dionisos Teatro (Joinville/Sc)

15h

Fui pra lua e levei… Um violão? Um cavalo? Um carrinho de picolé? Em “Lá na Lua” a gente pode levar o que quiser, é só se deixar envolver pelas canções e histórias que compõem este espetáculo. Inspirado em lendas sobre a lua, com histórias e canções próprias e com uma pitada de brincadeira, a Dionisos convida as crianças e seus adultos a participarem desta serenata para nossa divertida e misteriosa Lua.

Indicação: 4 anos

Casa 102 – Alameda Júlia da Costa, 102 – São Francisco

Cinema Ao Luar / Gloriosa Produção Cultural – Flavia Milbratz e Ana Hupfer (Curitiba/PR)

18h30 às 21h

Nós não vivemos a época dos anos dourados – quando era comum assistir a filmes sob a luz das estrelas – e hoje, pouco aproveitamos momentos ao ar livre na cidade. A proposta do Cine Luar é promover uma volta no tempo: uma oportunidade para as crianças viverem uma experiência única, em um ambiente preparado com afeto, conforto e pipoca. Num primeiro momento, a imaginação toma conta e as crianças podem brincar livres com fantasias e acessórios, incorporando personagens e criando histórias. Depois, todos serão convidados a encontrar o melhor lugar para assistir juntos um filme infantil projetado na parede ao anoitecer. Os pais poderão fazer parte da vivência: basta levar uma cadeira de praia, almofada, canga ou banquinho para ficar confortável. Em caso de chuva, a programação poderá ser adiada.

Indicação: 6 a 11 anos

 

15 de novembro

Espaço Fantástico das Artes – Alameda Princesa Izabel, 465 – São Francisco

A Menina E O Lampião / Cia Filhos da Lua (Curitiba/PR)

15h

“A Menina e o Lampião” narra a difícil e divertida missão pela qual passam dois atores; fazer a menina Mirandolina esquecer seus medos e dormir. Para vencer essa parada, eles contam com a ajuda preciosa de um velho lampião, que, por ter passado a vida escutando fábulas contadas sob a sua luz, tornou-se também um excelente contador e cantador de histórias. Concebida pelos músicos e atores Candiê Marques e Doriane Conceição, a montagem é uma das mais novas investidas da Cia Teatro Filhos da Lua, que em 2011 completou 30 anos de arte e educação pelo Paraná. Nela, o público contempla o fruto de uma extensa pesquisa do grupo, onde a proposta é que música e dramaturgia tenham o mesmo peso cênico, transformando um conto em canto e um canto em conto. “A Menina e o Lampião” apresenta diversas técnicas de animação, principalmente a do teatro de objetos e animação direta.

Indicação: Livre

Espaço Fantástico das Artes

Cabaré de Variedades / Núcleo de Palhaçaria (Curitiba/PR)

16h

Cabaret de Variedades é um espetáculo cheio de muitas emoções! Apresentado pelas palhaças Skarlate e Sereia, promete muitos risos, músicas e vários números circenses incríveis.

Indicação: Livre

 

Espaço Fantástico Das Artes – Alameda Princesa Izabel, 465 – São Francisco

Fabuloso Teatro De Bolso E Papel / Tupi Pererê (Curitiba/Pr)

17h

(*Estreia)

Era uma vez uma tesoura, oito bolsos e um teatro que cabe numa mala… Sim, o “Fabuloso Teatro de Bolso e Papel”. O Guga Pererê começa a cortar a linha do encontro e a história vai e vem misturando bichos, poemas, temas como o tempo, a infância e a criança. Raquel Pererê dá o tom das brincadeiras embaladas ao vivo entre um recorte e outro. Ao final, o grupo se despede deixando os recortes para a plateia.

Indicação: Livre

Espaço Fantástico das Artes

Teatro Lambe Lambe / Trágica Cia de Arte (Curitiba/PR)

durante a programação (das 15h às 17h)

A Trágica Cia de Arte, formada por Inecê Gomes e Jacques Beauvoir, foi criada em 2013, a partir de um projeto de estudo da linguagem das formas animadas para pequenas plateias e intervenções nas ruas.  Na Mostra Espetacular apresentarão os seguintes trabalhos:

QUARTO DE BEBÊ: Em uma noite fria, de lua cheia, a “Bonitinha” tenta dormir. Mas quando a cidade silencia, iniciam os ruídos da casa e dos sonhos. O espetáculo ilustra de forma lúdica os terrores noturnos vividos por uma criança. Indicação: 4 anos

NA VARANDA: Timóteo, um velhinho simpático que perambula pelas ruas de uma pequena cidade a oferecer seus “consertos & concertos”.

Indicação: 3 anos

 

16 de novembro

Teatro Sesi Portão –  R. Padre Leonardo Nunes, 180 – Portão

Alberto, o menino que queria voar / Companhia Karagozwk (Curitiba/PR)

15h

Teatro de sombras com imagens projetadas por trás e pela frente da tela onde o ator Marcello Andrade dos Santos vive o personagem de um mecânico, no ano de 1900, amigo de Alberto Santos Dumont, para contar a história deste grande brasileiro, que desde criança afirmava que “O HOMEM PODE VOAR”…

Indicação: Livre

 

17 de novembro

Centro Criatividade São Lourenço/Externo – R. Mateus Leme, 4700 – São Lourenço

Oficina Roda Parangolé/ Nós em Traço Coletivo (Curitiba/PR)

Das 9h Às 12h

A oficina tem como proposta a criação, montagem e vivência individual e coletiva do Parangolé (Hélio Oiticica). Ao final será realizado um cortejo pelo parque. As ministrantes apresentam o autor e a obra que será experienciada em todas as etapas pelo participante. Cada indivíduo é responsável pelo nascimento da sua obra que possibilita a experiência corpo/objeto/ambiente. O principal objetivo é a criação de uma obra de arte que permita experiência individual e que ao mesmo tempo mostre como as diferentes individualidades e suas particularidades enriquecem um coletivo ou a comunidade que vivemos.

*Parangolés são capas, estandartes, bandeiras para serem vestidas ou carregadas pelo participante de um happening. As capas são feitas com panos coloridos (que podem levar reproduções de palavras e fotos) interligados, revelados apenas quando a pessoa se movimenta. A cor ganha um dinamismo no espaço através da associação com a dança e a música. A obra só existe plenamente, portanto, quando da participação corporal: a estrutura depende da ação.

Interessadas e interessados podem enviar email para [email protected] até dia 09/11 com o assunto RODA PARANGOLÉ.

As inscrições são gratuitas.

Ministrante:

Nós em Traço realizou a Ocupação da Galeria Ponto de Fuga (Curitiba) em 2018 com a Oficina Traço, Verbo, Corpo. Em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba e ICAC fez a produção e realização da vinda do Segni Mossi para o Brasil/Curitiba com as formações “Yellow” e “Red”. Atualmente o Coletivo participa da programação permanente da Casa Hoffman em Curitiba com uma ação gratuita que acontece todo primeiro domingo do mês e que integra pais e filhos através da relação entre dança, música e artes visuais. Em julho de 2018, produziu o Curso “Poesia e Movimento” com Isabel Marques e Fábio Brazil em Curitiba que fez parte das ações do Terceiro Fórum Brasileiro de Economia Criativa, participou do Segundo Festival Internacional de Percussão em Curitiba no Memorial de Curitiba, em setembro participará da Bienal de Quadrinhos de Curitiba e em outubro da Bienal de Curitiba.

Indicação: 4 a 10 anos

 

Teatro Sesi Portão –  R. Padre Leonardo Nunes, 180 – Portão

Sopros, Tambores E Arlequins / Marcela e Mariana Zanette (Curitiba/PR)

20h

Quem sonha de olhos fechados, dorme. Quem sonha de olhos abertos, vive! Esta poderia, facilmente, ser uma fala da Marcelita Colombina Flores. A personagem – das mais carismáticas a desfilarem pelos palcos ultimamente – foi criada pelas irmãs Marcela e Mariana Zanette. Uma jovem colombina cheia de talentos e sonhos, mas com pouco ou nenhum espaço para trazê-los a público e expressá-los. Eis o fio condutor do espetáculo “Sopros, Tambores e Arlequins”: a Marcelita decide fugir com uma trupe de Arlequins, seres enigmáticos que vivem entre o real e o imaginário. Na bagagem, trompetes, saxofones, clarinetes, tuba, trombone, bateria, percussão e acordeão. Há também um malabarista e uma dançarina. Tudo se afina, o mundo se converte em lirismo e inspiração.

Marcelita sonha em ser maestrina, tocar flauta, viver livremente com seus novos companheiros de jornada. Mas nem tudo são flores para o artista que tem que fazer malabarismo e vive na corda bamba para poder apresentar sua Arte. Os desafios são muitos e o perigo de perder o equilíbrio e despencar espreita. Superadas as dificuldades dessa vida de artista, todo o talento parece brotar de cada músico, liricamente, como as cores numa aquarela, ou melhor, os acordes de seus instrumentos. Cada nota se une em uma única jornada musical, colorida, a própria música ganha texturas inesperadas, surpreendentes, inesquecíveis. Sopros, Tambores e Arlequins atrai crianças, jovens e adultos por ser um espetáculo multimidiático, plástico e encantador. Faz a gente sorrir, imaginar, querer fugir com a trupe. Faz a gente concluir que viver é preciso, fazer arte é necessário e sonhar é fundamental.

Indicação: Livre

 

18 De Novembro

 

Teatro Cleon Jacques – R. Mateus Leme, 4700 – São Lourenço

Mergulho / Eranos Círculo de Arte (Itajaí/SC)

11h

Mergulho. Foto João Freitas

O espetáculo Mergulho voltado especialmente para crianças de 1 a 6 anos conta a história de duas pessoas que vivem em universos diferentes, ele na terra e ela no mar, e que buscam, com a ajuda da plateia, se encontrar. Utiliza como ferramenta técnica a projeção digital atrelada ao som, um meio que viabiliza uma linguagem sensorial e imagética e que permite uma série de possibilidades de interação entre cena e plateia, entre imagem e os sentidos do espectador.

Indicação: 1 a 6 anos

 

 

Teatro Bom Jesus / Encerramento  

Chapeuzinho Vermelho/Projeto Gompa (Porto Alegre/Rs)

16h

Fábula ambientada na contemporaneidade, Chapeuzinho Vermelho tem uma mãe ocupada, um pai ausente e uma avó doente e solitária. A rua é perigosa e, em casa, o tédio briga com a vontade de brincar. Teatro, dança, música e contação de história abordam temas como a imaginação infantil, o medo e a curiosidade da criança diante do desconhecido.

Indicação: 5 anos