“Macbeth” é revisitado em espetáculo da Cia dos Palhaços


Entre os dias 10 de agosto e 2 de setembro, Companhia dos Palhaços faz releitura da famosa peça de William Shakespeare

Valor

Ingresso "pague quanto puder"

Outras informações

Espetáculo "Deslady" Data: 10 de agosto a 2 de setembro Horário: sextas-feiras e sábados às 20h e domingos às 19h Endereço: Espaço Fantástico das Artes - Al. Princesa Izabel, 465 - São Francisco

Uma das peças mais marcantes de William Shakespeare, “Macbeth”, é revisitada pela palhaça Tinoca no espetáculo “Deslady”, da Companhia dos Palhaços. Em uma apresentação solo, a atriz Nathalia Luiz discute padrões culturais negativos que perpetuam a violência.

A peça será apresentada entre os dias 10 de agosto a 2 de setembro, durante as sextas-feiras e sábados, às 20h, e aos domingos, às 19h, no Espaço Fantástico das Artes. Os ingressos fazem parte do sistema “pague quanto puder”, no qual o público é convidado a escolher voluntariamente a quantia a ser deixada na bilheteria.

“Deslady”

Esse é o primeiro trabalho solo da atriz Nathalia Luiz, a palhaça Tinoca, livremente inspirada em Macbeth, na tradução de Beatriz Viégas-Faria e com dramaturgia por Angélica Kauffmann.

Na trama, a palhaça Tinoca é apaixonada por dramas e resolve fazer uma montagem sozinha da peça de Shakespeare, mas ela só conhece a personagem de Lady Macbeth. Ela se vê dominada pelo poder da personagem e toda a violência representada por ela.

O projeto “Deslady” acontece por meio de um intercâmbio cultural entre a diretora Andréa Macera (referência em palhaçaria feminina, que desenvolve um trabalho voltado para palhaças) e a assistente de direção Margie Rauen (pesquisadora de processos de criação em cena e feminismo) e a Cia dos Palhaços, que produz o espetáculo.

A produção é realizada em conjunto pelos produtores Fabrício de Angelis, Meire Abe e Jaciara Rocha.

O espetáculo é solo, porém reúne uma equipe de 12 mulheres na criação. O processo criativo seguiu  a linha da palhaçaria feminina e dos improvisos de estados e máscaras a partir de Sue Morrison.

A proposta de direção foi complementada também com os trabalhos de desenho de voz por Michelle Pucci e de corpo por Marina Prado. O figurino e adereços são de Fabianna Pescara e Renata Scrobot. Os cenários são de Guenia Lemos, iluminação de Nadja Naira e a trilha sonora de Doriane Conceição.