É Setembro Amarelo no Eu amo Curitiba O que você pode fazer?

Muita gente percebeu imagens, camisetas, posts amarelos nas redes sociais durante todo o mês de Setembro. É o Setembro Amarelo, uma campanha que começou em 2015 para alertar sobre o suicídio.

As pessoas não gostam de falar sobre esse assunto. Algumas acreditam que se falarem sobre isso irão “dar ideias” para quem está deprimido. Mas o alerta do Setembro Amarelo é exatamente para nos mostrar que falar – e ouvir – ajuda muito. E todo mundo pode fazer algo para ajudar.

 

#paracegover: A imagem grande é de um mosaico de slides. Todos são amarelos, com o texto escrito em preto e têm a logo do Eu amo Curitiba e do Tô susse na parte inferior. A seguir, a descrição do texto de cada um dos slides, em ordem:

  1. Setembro amarelo – O que você pode fazer? (a interrogação aparece como uma imagem maior abaixo do texto)
  2. Setembro Amarelo: Campanha que acontece no Brasil desde 2015. 10 de Setembro – Dia Mundial de prevenção ao suicídio. Objetivo: Conscientização – Informação – Ajuda. Um grande ponto de exclamação vermelho aparece no plano de fundo da imagem, mais transparente.
  3. Suicídio: 32 pessoas morrem a cada dia no Brasil. É 3,5 vezes mais comum em homens. Para cada morte, existem 26 tentativas. (Fonte: CVV, OMS, Ministério da Saúde) Cada frase do slide aparece ao lado de um ícone que representa uma pessoa estilizada.
  4. Suicídio: Cerca de 1 milhão de mortes por suicídio por ano são estimadas no mundo. (Ao lado dessa frase, aparece a imagem de um globo terrestre) Acontecem quase 2 vezes mais suicídios no Sul do Brasil do que no Nordeste. (Ao lado dessa frase, o mapa do Brasil) (Fonte: Ministério da Saúde, OMS)
  5. O que você pode fazer: No centro, aparece a logo do Setembro Amarelo, a silhueta de uma pessoa com braços abertos, na frente de um grande laço amarelo (símbolo da campanha) ao lado do texto “Falar é a melhor solução”. Abaixo da logo, aparece o texto: De acordo com o CVV, falar sobre o suicídio pode evitar mortes, porque dissemina a informação de que é possível pedir ajuda.
  6. Observe: Pessoas que estão pensando em suicídio podem apresentar alguns sinais: Tristeza intensa por vários dias. Dizer frases como “talvez eu devesse sumir” ou “você estaria melhor sem mim”. Não fazer planos para o futuro. Doar objetos pessoais sem explicação. (Fonte: CVV) Ao lado de cada tópico, o emoji de uma carinha triste em verde.
  7. Esse slide tem 2 grupos de frases. O primeiro: “Não julgue, Não culpe, Não ofenda”, aparece sobre a imagem de um círculo vermelho com um X dentro. Abaixo: “Aceite, Respeite, Acolha, Escute”, sobre um círculo verde com um V verde.
  8. Falar é a melhor solução. Não evite o assunto. Se você conhece alguém que pode estar pensando em suicídio, converse com essa pessoa. Pergunte: ? Como a pessoa está se sentindo ? Se ela quer conversar com você ? Se ela aceita que você a ajude (as interrogações são imagens que aparecem no início das frases.
  9. Escutar é a melhor ajuda. Deixe que a pessoa fale livremente. Faça perguntas abertas para mostrar que se importa com o que ela pensa. Evite falar de si mesmo e dos seus problemas. Não faça comparações com outras pessoas. Não tente encontrar soluções “mágicas”. Mostre que você está disponível para ajudá-la. (Fonte: CVV) No plano de fundo aparece a imagem de duas pessoas sentadas, uma de cada lado de uma mesa, com balõezinhos indicando que estão conversando.
  10. Ajude. Escutar o que a pessoa tem a dizer. Encorajar a procurar ajuda médica e psicológica. Acompanhar a evolução. Comemorar os momentos de melhora. Apoiar nos momentos difíceis. (em letras maiores) Compartilhar a informação para que todos saibam que é possível ajudar também. (Fonte: CVV) Ao fundo a imagem de 3 pessoas estilizadas, uma representando a ajuda médica, uma maior, no centro, representando a pessoa que precisa de ajuda, e uma do outro lado, representando a pessoa que pode ajudar. Elas estão ligadas por pequenas “ondas” de energia, que passam de uma para a outra.
  11. CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias. http://www.cvv.org.br/ Abaixo, a imagem de um gancho de telefone ao lado do texto: Ligue 141
  12. Setembro amarelo. O mês está quase acabando, mas a ajuda pode e deve continuar o ano todo! #EuamoCuritiba (a logo da hashtag tem um coração após a palavra amo e, nele, o laço amarelo da campanha).

 

Que tal manter essa conversa mesmo depois do Setembro Amarelo acabar?

Então, fica susse, fala sem medo e escuta com tranquilidade. E até o próximo texto! 🐌

Cibele Castro

Cibele Castro já foi médica e trabalhou no mundo corporativo. Hoje é Slow Life Coach: acompanha pessoas para alcançarem seus objetivos respeitando seu ritmo próprio. Cibele acredita que o ideal é incorporar o Slow Life ao seu estilo de vida antes que o excesso de velocidade se transforme em ansiedade, hipertensão, depressão e outras consequências negativas. E garante que isso pode ser feito independente da sua profissão, idade ou cidade onde mora. Cibele assina a coluna "Tô Susse" aqui no Eu Amo Curitiba, que fala sobre comportamento e rotina curitibana, ditando uma nova ordem - DESACELERE.